SEMPRE TEM MUITA COISA

{ARTE PARA DOWNLOAD GRÁTIS}

Entre trancos e barrancos, todos os dias fazíamos, eu e meu filho João, uma lição que duraria 50 minutos tomar 4, 5, 6 horas de nosso dia. Por que para o João fazer as atividades e trabalhos propostos nos livros e pelas Profs até não é problema, mas quando chega na parte de registrar {escrever no caderno}, vem aquela ladainha... MAS É MUITA COISA, diz ele TODOS os dias.

Depois de tanto desgaste, em que usei todos meus argumentos sobre as facilidades em ser criança, diante das obrigações dos adultos, até mesmo aquelas velhas chantagens maternais de proibir isso ou aquilo, resolvi mudar de tática.

Criei um cartaz que diz: SEMPRE TEM MUITA COISA.

Catelini_Padilha_Bordados

Então agora, quando o João começa a resmungar, eu não falo nada...

Só mostro o cartaz!

E não é que está funcionando... hahahaha

A verdade é que criei essa arte com uma função específica, mas também serve pra gente pensar um pouco sobre reclamação. Às vezes reclamamos de coisas só por reclamar, mesmo sabendo que temos que fazer.

A gente sempre vai ter muita coisa pra fazer, pra cuidar, pra pensar... Sempre!

Talvez devamos encontrar caminhos pra isso não nos incomodar.

Não é um bordado, mas depois de fazer o cartaz, fiquei pensando sobre isso e resolvi digitalizar a arte e colocar lá na minha lojinha pra você fazer DOWNLOAD GRATUITO. ❤

Dá pra bordar também, usando a arte como risco, mas talvez você possa usar dessa mesma tática aí na tua casa, com algum membro de sua família que adora reclamar que tem muita coisa pra fazer.

Imprima o cartazinho e deixe à mão... Quando vier aquela reclamação, aponta pra frase: SEMPRE TEM MUITA COISA. E deixe o silêncio responder sozinho. hahahaha

Para fazer o download, acesse http://loja.catelinipadilha.com.br finalize a compra normalmente e coloque o cupom SEMPRETEM ao fechar o carrinho para ganhar o desconto de 100%.

Cupom válido até dia 30 de junho de 2020.

❤❤❤

05 de Julho de 2018 – 1 Ano da Firma e quero te dar um presente

Toda vez que me perguntam sobre como começou a empresa Um Pontinho – Bordados feitos a mão, gosto de falar que iniciou depois que tive o João, meu filho. Em outubro de 2018 ele fará 7 anos, e a maternidade me fez rever muitos dos meus conceitos. Quando grávidas, percebemos o quanto nossos instintos se aguçam e de forma visceral nos dominam. Os cheiros e gostos ficam mais intensos, a inteligência nada artificial nos faz mais atentas a qualquer ameaça a sobrevivência. Isso é natural, é natureza, é humano, é surpreendente {apesar de ser a coisa mais comum do mundo}. A maternidade me fez enxergar o fragilidade da vida e a necessidade de deixar uma marca no mundo nesse breve tempo que estarei por aqui. Já era tempo de fazer algo diferente. Ok… Isso era certo… Mas o quê exatamente?

Nessa inquietude crescente comecei a ler e consumir mais conteúdo na internet. A medida que encontrava textos e vídeos que faziam sentido ao meu momento, apareciam outros tantos que confirmavam que eu estava no rumo certo. Comecei a salvar imagens no Pinterest que me agradavam de alguma forma, passei a seguir perfis diferentes no Facebook, me inscrevi no canal de outros tantos no Youtube, sem falar de seminários, palestras e cursos que sempre estiveram em minha agenda. E assim, como um quebra-cabeças, as peças foram se encaixando e eu descobrindo minhas paixões e propósitos. Mas sem dúvida, conhecer o conceito de Economia Criativa foi o que me fez perceber que as respostas que eu estava procurando estavam dentro de mim e que unir negócios a manualidades poderia dar certo. E foi através do trabalho da Rafa Cappai que descobri um novo universo de possibilidades e comecei a devorar tudo o que tinha a ver com esse novo {pero no mucho} olhar sobre a economia. Ok… Isso era certo… Mas o quê exatamente eu ia fazer?

Entre salvar imagens, compartilhar na redes sociais e ler, ler, ler muito sobre tudo isso, comecei a redescobrir um amor antigo, que vinha da infância: o amor pelo bordado. Em seguida comecei a fuçar nas minhas coisas e fotografar o que eu havia bordado. E olha, que eram coisa bem bacanas. A medida que compartilhava fotos, recebia comentários e elogios que reforçavam uma ideiazinha que começava a brotar na minha cabeça e no meu coração. E assim, aos poucos, eu {re}descobri como trazer esse amor ao protagonismo da minha vida. Bordado, seu lindo, veio para ficar.

Mas veja bem, falei que essas coisas começaram a acontecer quando meu filho nasceu… E ele já vai fazer 7 anos. Como é que a firma está fazendo 1 ano hoje então?

Pois é… Gosto de falar que Empreendedorismo e Maternidade não são só glamour.

Da necessidade de fazer algo a formalização de uma empresa, se passaram quase 6 anos. Os 3 primeiros anos de um bebê são maternais. Eu me dediquei muito ao João, o amamentei até 2 anos e 11 meses. Apesar de sentir essa vontade louca de ser produtiva e revolucionar o mundo, minha prioridade era total a de atender meu filho. Quando ele finalmente foi para a escola, que consegui sacudir a poeira e comecei a organizar as ideias.

Empreender é construção. Não só da empresa, mas uma construção da gente também. Exige coragem e mudanças. E mudar dói. Eu trabalhava com o Dario há mais de 10 anos e enxergava {e ainda enxergo} o enorme valor do trabalho dele. Queria, mas também não queria, deixar de fazer o que fazia. Queria voar, sem tirar os pés do chão. Tinha muitas certezas, mas muitas dúvidas também. Mas a medida que o tempo passava, meu projeto com o bordado ia tomando corpo, ia tomando o meu tempo, mais do que isso, ia enchendo o meu coração.

Voltando um pouco na história, logo na sequência que descobri os conceitos da Economia Criativa, fiquei sabendo que a Microempa estava promovendo o I Fórum da Economia Criativa em Caxias do Sul. Todo o conteúdo que eu até então tinha consumido era de fora do país ou de São Paulo, e a Microempa já estava promovendo um Fórum? OMG… Que gente acelerada. Me inscrevi correndo, arrastei o Dario e convidei a Renata. Gentem… Nunca mais saímos da Microempa.

Desde então passamos a frequentar assiduamente a entidade empresarial. Ali encontramos terreno fértil para boas ideias e parcerias. Gente a fim de dar certo, a fim de construir. Gente que constrói, que se compromete. E isso foi determinante para que hoje eu comemore 1 ano de abertura do CNPJ de minha empresa. Foi através do Grupo Setorial Teia – Rede de Trabalho Artesanal e convivendo com uma rede séria de empresários, que consegui alinhar meu propósito com o que eu tenho que fazer. Consegui me fortalecer e fortalecer outras tantas pessoas para que não desistam de seus sonhos.

Tenho certeza de que já cresci muito nessa caminhada, da mesma forma que enxergo que tenho muuuuuuito ainda a fazer.

Mas o fato é de que me encho de gratidão e desejo compartilhar com aqueles que me encorajam a continuar, as coisas boas que o bordado pode nos proporcionar. Desde auto-conhecimento até uma nova fonte renda, as possibilidades são infinitas e os recursos são infindáveis.

Assim, para comemorar esse primeiro ano {oficial} da “firma”, vou começar a disponibilizar riscos de bordado para download, para que assim, mais gente borde e seja feliz.

O primeiro risco será o do primeiro bordado meu que postei no instagram:

É um risco simples, mas acredito que tudo é construção. Minha ideia é enviar 1 novo risco a cada 15 dias… Iniciando pelos riscos dos primeiros bordados que postei em minhas redes sociais.

Para fazer o download do risco, se cadastre em nossa lista nesse link .

Obrigada por me acompanhar e vamos bordar!!! Tenho certeza de que comemoraremos muitos outros anos de vida e de vendas. <3